Converta a partição do sistema de EXT4 para Btrfs ou para F2FS

Convertendo partições de sistemas para Btrfs ou F2FS no Linux

Sistemas de arquivos são muitos importantes, pois eles vão nortear o tempo de resposta que nosso HD ou SSH vai responder a funções tais como cópias de arquivos, backups e e muitas outras. O sistema operacional instalado vai reagir também de maneira positiva ou negativa a escolha que fizermos.

A maioria das distribuições Linux atualmente mantem a instalação padrão em Ext4, mas o Btrfs está tomando cada vez mais lugar, e correndo por fora, existem opções como o F2FS e o XFS, mas não são todas distribuições Linux que dispõe do mesmo durante a instalação, então segue essa matéria mostrando como converter o sistema de arquivos do seu sistema mesmo depois de já estar instalado.

Aqui no exemplo vou converter uma partição do sistema pra F2FS, faça um backup antes é claro e tenha um pen-drive bootavel com outro sistema, caso algum passo de errado. Primeiro passo para converter a sua partição “/” será necessário iniciar o sistema por um pen-drive bootavel e entrar no modo live de uma distro Linux. Um sistema bom pra fazer essa conversão que já possui suporte nativo de instalação com F2FS é o Artix, mas pode usar um Ubuntu ou Fedora também e de preferência que tenha o Gnome discos instalados, e então você precisa ter o pacote fstransform instalando no seu sistema, se for base Ubuntu use o seguinte comando:

sudo apt install fstransform


Lembre-se de substituir “/dev/sda2”, nos comandos abaixo, pelo identificador da partição que você deseja converter.

Primeiro entre em modo root para poder fazer o procedimento sem problemas com:

sudo su 

Então, realize uma verificação da integridade na partição que você deseja converter:

fsck.f2fs -f /dev/vda2 

Converta a partição para F2FS (no meu caso foi a partição nvme0n1p3):

Modificando partição do sistema de ext4 pra f2fs

fstransform /dev/sda2 f2fs --force-untested-file-systems 

Editando o arquivo “fstab”

Agora vamos montar a partição convertida no sistema que está em modo live:

Abra o GNOME Disks e selecione a partição que você acabou de converter, para visualizar as informações sobre a mesma. Em seguida, execute o comando a seguir para poder editar o arquivo “fstab”:

nano /mnt/etc/fstab 

Com o editor de texto “nano” utilize as setas do seu teclado para navegar pelo texto e os comandos de copiar e colar são, respectivamente: “Ctrl + Shift + C” e “Ctrl + Shift + V”.

Siga os seguintes passos:

Copie o código UUID da partição convertida (1) e cole-o no lugar do antigo código UUID no arquivo “fstab” (2);

No campo 3: substitua “ext4” por “f2fs” e adicione o parâmetro “defaults” seguido de “0     0”. O campo 3 do seu arquivo “fstab” deve ficar idêntico ao da imagem abaixo.

O arquivo de swap original não irá mais funcionar com a partição em F2FS, então vamos gerar um novo “swapfile” mais tarde. Por isso, apague toda a linha que contém as informações sobre o arquivo de swap (4).

 

Convertendo sistema de arquivos no Linux

Pressione “Ctrl + O” seguido de “Enter” para salvar as modificações e “Ctrl + X” para sair do editor de texto.
Editando o arquivo do GRUB

Com o comando a seguir, utilize o “nano” para abrir o arquivo de configurações do GRUB:

nano /mnt/boot/grub/grub.cfg

Pressione “Ctrl + W” para realizar uma pesquisa no editor de texto nano e, no campo de busca, digite “insmod ext2” seguido de “Enter”. Isso fará o nano destacar todas as ocorrências do termo pesquisado. Você pode utilizar o atalho “Alt + W” para avançar para a próxima vez que o termo pesquisado aparece.

Substitua todas as aparições de “insmod ext2” por “insmod f2fs” conforme imagem abaixo:


Pressione “Ctrl + O” seguido de “Enter” para salvar e “Ctrl + X” para sair do nano.
Realize um “chroot” para acessar o sistema instalado

Agora, através do terminal, precisaremos acessar o sistema instalado na partição que acabamos de converter. Além disso, para evitar problemas relacionados ao SELinux quando você for iniciar o sistema instalado, rode o comando a seguir:

 

mudando arquivo ismod apos converter sistema de arquivos

touch /mnt/.autorelabel 

Monte as pastas necessárias para a utilização do “chroot”:

mount  -t proc none /mnt/proc && mount -t sysfs none /mnt/sys && mount -o bind /dev /mnt/dev && mount -o bind /dev/pts  /mnt/dev/pts 

Acesse o sistema instalado através do “chroot”:

chroot /mnt bash 

Atualize as configurações do GRUB

Como realizamos modificações no sistema de arquivos da partição “/”, será necessário atualizar as configurações do GRUB. Caso contrário, o mesmo não irá inicializar.

Também temos que remover o antigo arquivo de swap:

rm /swapfile 

Para atualizar o GRUB, se o seu sistema estiver instalado no modo “BIOS Legacy”, utilize os seguintes comandos:

grub-install /dev/vda2

grub-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg

Se o comando acima não funcionar, utilize:

grub2-mkconfig -o /boot/grub2/grub.cfg 

Se o seu sistema estiver instalado em UEFI, rode os comandos:

mount /boot/efi

grub-install --efi-directory=/boot/efi

grub-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg

Se o comando acima não funcionar, rode:

grub2-mkconfig -o /boot/grub2/grub.cfg

Utilize o comando “exit” seguido de “Enter” por três vezes consecutivas para fechar o terminal da maneira correta e reinicie o sistema. Desta vez, inicie o sistema instalado e não o modo live.

Recriando o seu arquivo de swap

Este passo não é necessário se você estiver utilizando uma partição de swap. Porém, se você está utilizando um “swapfile”, siga os passos a seguir.

Entre no modo “root” do seu sistema e acesse a pasta raiz:

sudo su 
cd /

Crie um subvolume para o novo arquivo de swap e atribua os parâmetros necessários:

utruncate -s 0 ./swapfile

chattr +C ./swapfile

f2fs property set ./swapfile compression none

Gere um novo arquivo de swap. Você pode substituir “2048”, no comando abaixo, pelo tamanho que você deseja para a sua memória swap.

dd if=/dev/zero of=/swapfile bs=1M count=2048 status=progress  

Atribua as permissões recomendadas para o novo arquivo e transforme-o em um “swapfile”:

chmod 0600 /swapfile

mkswap /swapfile

Ative o seu novo arquivo de swap:

swapon /swapfile 

Adicione o novo “swapfile” no arquivo “fstab”

Abra, novamente, o arquivo “fstab”:

nano /etc/fstab

E, no final do mesmo, cole a linha a seguir:

/swapfile none swap defaults 0 0

Salve as modificações com “Ctrl + O” seguido de “Enter” e “Ctrl + X” para fechar.

Reinicie o sistema, e pronto! A transição de EXT4 para F2FS está completa.

Se estiver satisfeito com o resultado, você já pode apagar a pasta de backup “ext2_saved” da raiz do seu sistema.

Postar um comentário

0 Comentários