Fedora 35 - O melhor Fedora até agora?

 

Fedora 35 - o melhor Fedora até agora

O campeão de inovações do mundo open source está as portas de mais uma versão. E nessa matéria vou abordar sobre o que está chegando no Fedora 35, por fora e também algumas novidades por dentro do sistema.

A grande novidade dessa versão do se dá pelo Gnome na versão 41, estando um passo a frente, que agora na versão 21.10 que está chegando no Gnome 40.

Quanto ao Gnome 41, pude notar que as janelas estão com uns cantos mais arredondados do que de costume, que com um efeito de sombra, seguindo o que já está sendo implementando em outras interfaces e sistemas.


Dentre as novidades, o calendário agora consegue abrir arquivos .ics, ficando mais fácil importar uma configuração preexistente. 

No menu superior agora você tem o controle de uso da CPU, podendo alterar entre um uso mais econômico, (que vai consumir menos recurso e portanto menos bateria) ou o consumo mais elevado.

Um truque que pode lhe ajudar, na fluides do sistema usando a interface Gnome, é desativar o recurso de pesquisa, assim a interface deixa a máquina mais rápida, pois vai liberar um núcleo do processador, que fica ocupado na maior parte das vezes só por conta disso. 

O Fedora 35 também está trazendo um App novo para conexões RDP, uma opção para quem quer acessar uma máquina via acesso remoto.

O Fedora 35 vem com um app de conexões, para acesso remoto a outros computadores, uma opção ao Remmina

Algumas mudanças por baixo do capo do Fedora

Quanto as mudanças na parte de dentro do sistema (até porque as mudanças visuais na maior parte se dão pelo Gnome em si e não pelo Fedora), posso destacar o Broken RPATH que vai evitar que binários gerados no Fedora carreguem softwares maliciosos🤫. Pois durante a compilação, ele vai detectar se tem algum código malicioso pelo rpmbuild e vai dificultar as coisas, pra quem está com má intenções.

Agora o Fedora vai aceitar outros compiladores, e não apenas o GCC, e isso é bom, pois existem programas que se saem melhor com outros compiladores, então teremos aplicativos funcionando melhor no sistema, será que agora teremos um Fedora tão responsivo quanto um Archlinux da vida? 🤔

Agora o Fedora 35 vai suportar outros compiladores e não somente o GCC
 

Agora o Fedora também terá DNS por TLS, possibilitando que vc faça chamadas de DNS pro seu provedor já utilizando criptografia, algo que vai aumentar a sua privacidade, caso alguém tente monitorar sua rede para roubar os dados, não vai consegui ler o que está passando por ela tão facilmente. Mas esse recurso não vem habilitado por padrão, portanto você precisa usar um DNS que seja compatível com o serviço e então habilitar o mesmo.

As teclas back space e enter agora terão um comportamento diferente, pois serão controladas pelo GTK 4.

Fora isso também temos o compilador GCC indo pra versão 11, a biblioteca glibc para 2.34, Node.js para 16, Perl para 5.34, Python para 3.10, Erlang para a versão 24 e o rpm para a 4.17. 

Agora as bibliotecas não precisam mais ser executáveis pra gerar dependências, e agora o rpm remove os arquivos .la (restos de building) após as compilações, com isso ocupando menos espaço em disco.

O Fedora 35 também recebeu melhorias no rpmautospec, então quem quem for gerar um pacote rpm, terá que escrever menos linhas, pois essa parte recebeu uma automação.

As macros do rpm agora também possuem limite de memória, evitando que a máquina trave quando você estiver usando o rpmbuilder durante a compilação de um rpm. Isso com certeza deve diminuir as falhas no processo de entrada de pacotes na distro, aumentando inclusive a velocidade de entrada dos mesmos. E pra quem curte ou usar muito a parte de compilação, também ocorreram melhorias no LTO.

Os serviços em nível de usuário agora são controlados pelo systemd, e após os pacotes rpm serem atualizados, eles serão reiniciados por ele.

O Fedora
também está adotando  as mudanças nos módulos do libvirt, só que de modo mais restrito.

O Power-profiles-daemon agora está habilitado por padrão, o que vai fazer a bateria do seu notebook bem mais. (justamente agora que a bateria do meu note foi pro espaço e não posso testar isso?🤦🏻‍♂️). 

E não menos importante, vale ressaltar que o session Manager do Pipeware foi trocado pelo do WirePlumber, e segundo consta na documentação do Fedora, isso oferece uma possibilidade de integração com mais linguagens de programação, além dele ser modular e poder ser decriptado com lua. 

Bom, essa aqui foi a matéria falando das novidades do Fedora 35, o sistema que costuma ser o pioneiro nas inovações do mundo open source. Mesmo que você não utilize o Fedora, é sempre bom ficar de olho no que está chegando no lado azul da força, pois mais cedo ou mais tarde, tais recursos vão acabar aterrissando na sua distro. No mais eu fiz um vídeo lá no canal Rikerlinux mostrando melhor sobre essa nova versão do sistema.


Fedora 35 com a bela Gnome software do Gnome Shell 41

Pretende testar esse novo Fedora 35? Não? Deixe aqui nos comentários! 😃👇🏻

Fonte:

Fedora ChangeSet





Postar um comentário

0 Comentários