Origem da interface Kde Plasma


O projeto Kde começou a partir de um anúncio em uma lista de discussão, onde o autor pedia sugestões e buscava participantes no dia 14 de outubro de 1996.


anuncio na lista de discussão que deu início ao Kde
Publicação que deu origem ao Kde


Esse anúncio foi imortalizado na página do projeto, e já dava uma ideia de que o autor Matthias Ettrich queria um ambiente gráfico voltado para o usuário final, como alguns dizem, algo user friendly, para ler e-mails, editar documentos, ouvir músicas entre outras coisas simples do dia a dia. Então alguns desenvolvedores se reuniram em torno dessa ideia e assim nascia um ambiente gráfico poderoso no mundo Opensource.


Matthias Ettrich criador do Kde


Entre 28 de agosto e 1 de setembro de 1997, alguns desenvolvedores do KDE se reuniram em Arnsberg, na Alemanha, com o intuito de discutir questões sobre o design além do futuro do projeto. Algumas áreas que tiveram muitos progressos foram a estabilidade KFM, internacionalização e detecção de tipo mímico. Além disso, os trabalhos em andamento foram apresentados e discutidos. E em dezembro de 1997, foi fundada a organização KDE e V, sem fins lucrativos com o intuito de representar a comunidade Kde quanto a questões legais e financeiras.


Após os primeiros passos surgiram diversas versões do Kde, conforme abaixo:


  • 1.0 lançada em 12 de julho de 1998

  • 2.0 lançada em 23 de outubro de 2000

  • 3.0 lançada em 2002

  • 4.0 lançada em 2008

  • 5.0 lançada em 2014




A partir da versão 3.0 os desenvolvedores passaram a trabalhar em melhorar a versão atual, muito mais do que se apressar em lançar uma versão nova, tendo um espaço de 6 anos até a versão 4.0 que chegou em 11 de janeiro de 2008, quando Aaron Seigo líder de uma parte do projeto Kde chamado Plasma, liberou a versão final do que seria a área de trabalho e o painel da interface Kde. Os novos recursos foram aceitos, e conforme sua evolução, o Plasma passou a integrar o nome da interface, sendo conhecido por muitos como Kde Plasma e por outros como Plasma Desktop, estando presente inclusive na abertura da interface.


Hoje em dia o projeto Kde é bem amplo, auxiliando inclusive no desenvolvimento de outras aplicações, o que cria uma excelente integração com sua interface, dentre esses programas posso destacar:


O Digikam


Um aplicativo avançado para visualizar e gerenciar suas fotos, entrega uma experiência semelhante ao falecido iPhoto da Apple, e ao atual Aperture.

Krita



Um programa de nível profissional para lidar com pintura e imagens, depois de conhecer essa ferramenta quase não utilizo mais o Gimp, pois ele substitui a altura, engraçado que o que me instigou a conhecê-lo foi a crise que o projeto passou em 2017, segue na parte superior um vídeo sobre essa questão.

Kdenlive



Isso mesmo, esse k no nome não é à toa, esse editor de  vídeos poderoso é desenvolvido pelo projeto Kde, editor esse que é amplamente utilizado pela maioria dos youtubers que possuem um canal sobre Linux, ou que mesmo possuindo um canal sobre outros assuntos, usam o sistema pinguim, acabam recorrendo a esse programa.

KeuroCalc



Se trata de conversor universal de moedas, além de ser uma calculadora pra auxiliar no calculo do cambio.

Choqok é um cliente para redes sociais pouco conhecido, gosto dele para usar com o Twitter

O Kde possui também o seu próprio office, que nada mais é que os programas Calligra, que vem com Sheets para planilhas, o Words para textos, o Kexi para banco de dados, e o que mais gosto que é o Stage para planilhas, mas eles ficam bem atrás do WPS e Libreoffice quanto a recursos e usabilidade.



O Kwin é o gestor responsável pelas animações do sistema, alguns  usuários acabam aproveitando os seus efeitos no XFCE, inclusive existe uma distro Brasileira chamada DuZerU que criou um programa para facilitar essa integração do Kwin com o XFCE.

Existe uma infinidade de programas na interface KDE, mas nessa matéria irei me ater a esses. 


O projeto Kde possui também o seu próprio sistema atualmente, que se trata do Kde Neon, uma distribuição Linux baseada no Ubuntu, na qual eles testam todos os avanços que serão feitos no Plasma, elogiados pelos fãs da interface, por trazer sempre a última versão, com todas as novidades que estão chegando na interface. Uma experiência semelhante a que os usuário Fedora têm.


Existe também o projeto Plasma mobile, com o intuito de entregar um sistema móvel, para que você possa desfrutar da experiência do Kde no seu Smartphone. Um concorrente a vista para o Android e IOS, será?


Espero que gostem desse tipo de matéria, deixe um comentário caso já tenha usado kde e qual foi a sua experiência com essa interface e e até a próxima.


Fontes:

Aqui e Aqui



Postar um comentário

1 Comentários

  1. Depois que você usa o KDE, principalmente no OpenSuse, não tem como voltar para outra interface.

    ResponderExcluir