A origem/história do Linux


Parabéns 👏👏👏, hoje o Linux faz 29 anos!!! 🎈🎁🎊🎉

Em 1991 um jovem finlandês chamado Linus Torvalds, escreveu um programa especificamente para acessar o grandes servidores UNIX da universidade de Helsinki, onde estudava. Se tratava de um emulador de terminal, que foi escrito para usar as funções do seu novo computador 80386. Para tal desenvolvimento, ele usou o MINIX como sistema Operacional e o GNU C compiler para compilar o mesmo.

No dia 25 de agosto de 1991, Linus Torvalds anunciou um post no newsgroup da Usenet.

“Olá a todos que estão usando minix -

Eu estou fazendo um sistema operacional livre (é apenas um hobby, não será grande e profissional como o gnu) para os clones AT 386(486). Está sendo desenvolvido desde abril e está quase pronto. Gostaria de receber qualquer feedback sobre o que as pessoas gostam/não gostam no minix, uma vez que o meu SO se parece um pouco com ele (mesmo layout físico de sistema de arquivos (devido a razões práticas) entre outras coisas.

No momento eu o portei para bash(1.08) e gcc(1.40), e as coisas parecem funcionar. Isso implica que irei conseguir algo prático dentro de poucos meses e gostaria de saber quais características a maioria das pessoas gostaria que tivesse. Quaisquer sugestões são bem-vindas, mas não prometo que eu vá implementá-las :-)

Linus (torvalds@kruuna.helsinki.fi)

PS. Sim — ele não tem nenhum código minix, e possui um fs multitarefa. Ele NÃO é portável (usa troca de contexto 386, etc), e provavelmente nunca será compatível com nada além de discos rígidos AT, uma vez que isso é tudo o que eu tenho :-(.

Linus Torvalds


Como podemos ver, a princípio Linus não esperava que seu Kernel fosse compatível com nada além que os discos rígidos AT que possuía. Mas que bom que a ideia se propagou, não parando por ali. E para facilitar o desenvolvimento, Linus fez upload dos arquivos para o FTP server da FUNET em setembro de 1991. 

A princípio Linus queria chamar seu invento de Freax, uma junção da palavra “freak”, “free” e um “X” fazendo alusão ao UNIX. Tanto que no princípio guardou os arquivos com esse nome por cerca de um ano, mesmo já tendo cogitado o nome Linux, porém o achou muito egocêntrico. Porém Ari Lemmeke era um dos administradores do servidor FTP da universidade de Helsinki, não achava Freax um bom nome, então deu ao projeto o nome de Linux no servidor sem consultar Torvalds, que mais tarde acabou consentindo.

Linus Torvalds publicou o Linux sob sua própria licença, possuindo restrições quanto a atividade comercial.

O software usado junto com esse Kernel foi o do projeto GNU, licenciado sob os termos da GNU General Public license, uma licença para os softwares livres. Nesse ponto ocorria a junção de um projeto de software livre que precisava de um núcleo para seus programas, e um núcleo que precisava de programas para funcionar como sistema operacional. E nas notas de lançamento do Linux 0.01 Torvalds incluiu a seguinte mensagem:


“Infelizmente, um núcleo por si só não leva a lugar nenhum. Para conseguir um sistema que funcione, são necessários um shell, compiladores, uma biblioteca etc. Essas são partes separadas e podem estar sob um copyright mais restrito (ou mesmo menos restrito). A maioria das ferramentas usadas com o linux são software GNU e estão sob o copyleft GNU. Tais ferramentas não estão na distribuição - pergunte-me (ou ao GNU) para mais informações.”

Então em 1992 Linus sugeriu nas notas da versão 0.12 que o Kernel fosse lançado sob a licença GNU General Public License, e em dezembro do mesmo ano ele já publicou a versão 0.99 sob a licença GPL. Então começou um trabalho em conjunto entre os desenvolvedores do Linux e do GNU para integrar os componentes e fazer um sistema Operacional totalmente livre. E quanto a isso Linus afirmou que “tornar o Linux compatível com a GPL, foi definitivamente a melhor coisa que eu já fiz”

O mascote oficial



Em 1996 foi anunciado que o Linux teria um mascote, e quando estava para escolher o mesmo Linus, contou ter sido bicado por um pinguim durante uma visita ao zoológico & Aquário Nacional de Camberra na Austrália, nesse momento ele passou a amá-los e acabou decidindo que o mascote seria um pinguim. Linus queria um pinguim que tinha tomado todas e ido pra cama com uma fêmea da espécie, um pinguim bem diferente que possui pés e bico laranja, como se o Patolino tivesse viajado em um cruzeiro para a Antártica, tivesse tomado todas, e vivido uma noite de loucuras com uma fêmea nativa. Foram enviadas várias imagens para Torvalds, e a imagem escolhida foi a de Larry Ewing, que usou o Gimp para criar o mascote.

Fonte:

Aqui

Postar um comentário

0 Comentários