Porque usar Linux Mint



Através dessa matéria vou abordar Porque usar Linux Mint, uma distribuição Linux irlandesa que começou como um Ubuntu com algumas modificações, e com o passar do tempo desenvolveram sua própria interface gráfica chamada Cinnamon, deixando de ser uma simples comunidade para se tornar uma pequena empresa com cerca de 20 desenvolvedores nos dias atuais, liderados por Clement Lefebvre, existindo hoje em dia até parcerias para vendas de computadores já com Linux Mint de fábrica, como podemos verificar na página do projeto.



Mas, então... Porque usar Linux Mint?! 🤔Seria mais uma pergunta ou uma afirmação do porque de utilizar o mesmo?


Desde a fácil instalação a interface Cinnamon, o Linux Mint é um sistema bem prático para quem busca algo que você instala e já está pronto para usar.

Além de se preocupar em usar tecnologias apenas quando estiverem realmente prontas, demorando a implementar recursos como o Wayland por exemplo. Não levando para o sistema recursos que podem deixar o usuários na mão.

Diferentemente de outras distribuições Linux, o Linux Mint não requer muitas modificações após a sua instalação para que você possa começar a usar. Muitos sistemas requerem que você abra o terminal, use comandos para atualizar, e ainda adicione repositórios para instalar programas.

Já no Linux Mint, temos quase tudo disponível na sua sua loja de aplicativos, e o que você não encontrar nela, provavelmente irá encontrar na internet o programa em formato .deb para fazer a instalação clicando no mesmo.



A equipe do Linux Mint tem desenvolvido também os Xapps, que começaram como Forks do Gnome, desenvolvidos na base GTK, sendo cross interface, programas escritos dessa forma podem rodar sem problemas nas interfaces Cinnamon, Mate e XFCE por também utilizaram GTK, evitando que os desenvolvedores percam tempo, ao tentar portar um programa de uma interface para a outra, podendo se concentrar em outras questões.

A tela inicial de boas vindas, já lhe proporciona a possibilidade de instalação do driver de video, de som, e de rede se for o caso, além de mostrar alguns programas que também podem ser instalados, sendo um grande facilitador para todos.



Basicamente você não precisa utilizar o terminal para nada, sendo um sistema fácil, prático e objetivo. Possuindo uma interface gráfica chamada Cinnamon, que a primeira vista se parece um pouco com o ambiente utilizado no Windows. Porém sendo totalmente customizável, lhe dando após um tempo maior de uso e conhecimento, a possibilidade de customização de acordo com o seu gosto.

Outro ponto forte, é a possibilidade de restaurar pontos do sistema após modificações indesejadas assim como ocorre no MacOS e no Windows com o TimeShift. É bem verdade que ele pode ser instalado em outras distribuições Linux, mas no Linux Mint além do mesmo vir instalado por padrão, ele se apresenta pra você utiliza-lo de maneira automática, deixando todos os outros sistemas para trás quanto a essa otimização.



Para lidar com arquivos, o Nemo é um rival a altura se comprarmos com o Finder do MacOS e o Explorer do Windows, com a vantagem de além da abertura de abas (que só o Finder nesse caso tem),  apertando fn+f3 ele consegue dividir a janela no meio, facilitando a visualização dos conteúdos para agilizar o seu trabalho.




Se já não bastasse toda essa praticidade o Linux Mint é baseado no Ubuntu, a distribuição Linux com mais tutoriais disponíveis na internet, o que torna uma pesquisa para resolver qualquer questão sobre o sistema, algo fácil, não sendo difícil tirar as suas duvidas caso haja alguma, quando a algum procedimento.

Mas o Linux Mint também possui uma versão chamada LMDE, sendo a sua versão baseada no Debian, para caso o Ubuntu que é mantido pela Canonical seja descontinuado, ou eles sofram algum processo, ou qualquer problema que aconteça, o Linux Mint possa continuar sem problemas.



Quando nos perguntamos do Porque usar Linux Mint, encontramos mais pontos positivos do que pontos negativos para nos encorajar a utilizar esse sistema Linux.



E você, já testou ou pretende testar o Linux Mint? Deixe aqui a sua opinião



Segue abaixo o vídeo que fizemos no canal sobre o assunto.







Postar um comentário

0 Comentários