quarta-feira, 3 de junho de 2020



Nessa matéria venho mostrar como instalar o Clipgrab no Ubuntu 20.04, Debian, Mint e demais sistemas Linux!

O Clipgrab se trata de um programa para fazer download de vídeo do Youtube para Windows, MacOS e Linux. 


Recententemente tive problemas na instalação do Clipgrab no Ubuntu 20.04 LTS. O programa em formato AppImage que fiz download diretamente do site, não estava executando, pedia para instalar o Fusion, mas quando verifiquei o mesmo já estava instalado e executando de maneira nenhuma, estava apresentando uma mensagem de erro do Fuse, necessário para execução dos AppImage no Linux, porém o mesmo estava instalado e segundo verifiquei no terminal em execução, e mesmo assim, o programa não executava. Não sei se tem a ver com alguma jogada da Canonical para que os usuários recorram aos formatos snap, contudo tive que procurar outra maneira de prosseguir com a instalação.


Essa situação me fez ter que fazer o Download do programa ClipGrab em código fonte para fazer a instalação do mesmo, e devido a ser um passo a passo não tão intuitivo para um usuário comum, decidi fazer essa matéria aqui no Blog RikerLinux para auxiliar caso alguém tenha dificuldades para instalar o mesmo. 

Primeiro você terá que fazer o Download do programa em código fonte, e para isso pode clicar nesse link, e depois terá que descompactar o mesmo, podendo fazer isso clicando com o botão direito do mouse, e depois indo em extrair aqui.

Depois terá que instalar algumas dependências necessárias e pode fazer isso com o seguinte comando


sudo apt install qtbase5-dev qtwebengine5-dev 
Depois precisamos fazer a compilação do programa com o comando:
qmake clipgrab.pro && make 
Caso a sua interface gráfica suporte pode criar um atalho, utilizando o script abaixo:


[Desktop Entry] 
Version=0.3.8.11 
Name=Clipgrab 
GenericName=Clipgrab 
Comment=Download de videos 
Exec=/home/sistemics/clipgrab-3.8.11/clipgrab 
Icon=/home/sistemics/clipgrab-3.8.11/clipgrab.icns 
Terminal=false 
Type=Application 
StartupNotify=true 
Categories=Video; 
Caso tenha maiores dificuldades de prosseguir com esse passo, segue um vídeo feito no canal RikerLinux mostrando como prosseguir:

Instalando Clipgrab no Ubuntu 20.04, Debian, Mint e derivados

Caso tenha alguma sugestão, deixe aqui nos comentários.


Siga nossas redes sociais!

Entre no grupo RikerLinux no Telegram
Canal de notícias no telegram
Siga o RikerLinux no Instagram: @RikerLinux 
Siga o RikerLinux no Twitter: @RikerLinux

Instalando o Clipgrab no Ubuntu 20.04, Debian, Mint e demais sistemas Linux!

segunda-feira, 1 de junho de 2020



O Pop!_OS se trata de um sistema baseado nas versões LTS do Ubuntu, que começou a partir do momento que a Canonical desistiu do Unity para o Ubuntu, afetando os clientes da empresa de hardware, chamada System76. Na qual decidiu desenvolver o seu próprio sistema operacional, e aos poucos depender cada vez menos da Canonical.


Nessa análise do Pop!_OS notei a adaptação da tela, algo criado pela System76 para que o sistema venha se adaptar ao seu hardware, e também exite uma opção para instalação de firmwares, ambos incluídos na Gnome Settings. 



Existe a possibilidade da escolha do Driver de vídeo no campo da configuração de energia no painel superior, onde você pode escolher qual Driver utilizar caso utilize uma placa Nvidia, podendo alternar entre Intel ou Híbrida, para utilizar o Driver da placa dedicada apenas quando for necessário no on-Demand.


A loja de aplicativos do Pop!_OS possui uma excelente integração com os formatos flatpacks, permitindo que você decida entre os programas em formato .deb ou flatpack.


A instalação do Synaptic também é muito útil pois facilita a instalação de diversos programas que não estão aparecendo na loja do Pop!_OS .

O sistema Linux Pop_OS já vem com diversas Extensões instaladas, na qual o deixam com a cara que a System76 quer, mas você pode desabilita-las e customizar o sistema do seu jeito. 

Um meses atrás fiz uma matéria entro o Ubuntu e o Pop!_OS, para decidir qual sistema utilizar, na qual você pode conferir nesse link.

Após essa análise do Pop!_OS, fica a pergunta... Será que ele é isso tudo mesmo?

E você, já testou ou pretende testar o Pop!_OS? Deixe aqui o seu comentário, e aproveite para acompanhar o vídeo feito no canal sobre o assunto.

Review do Pop!_OS

Siga nossas redes sociais!
Entre no grupo RikerLinux no Telegram
Canal de notícias no telegram
Siga o RikerLinux no Instagram: @RikerLinux 
Siga o RikerLinux no Twitter: @RikerLinux


Uma análise do Pop!_OS - Será que ele é isso tudo mesmo?

quarta-feira, 27 de maio de 2020


Através dessa matéria abordo sobre a virtualização do MacOS, o sistema da Apple na sua distribuição Linux. Nesse caso, será a versão do MacOS chamado Catalina.



A virtualização é feita por intermédio de um programa chamado Sosumi que vai facilitar todo o processo. O mesmo está sendo disponibilizado em formato snap, possibilitando sua instalação em qualquer distribuição Linux que possua suporte a esse formato. O Sosumi é baseado no macOS-Simple-KVM , na qual facilita o download e a virtualização do MacOS no seu sistema pinguim ( ele vem com o qemu-virgil, que inclui o virtio-vga, um driver gráfico 3D para virtualização).

Virtualizando o MacOS no Linux através do Programa Sosumi


O Sosumi baixa uma imagem do instalador do MacOS Catalina. Obvio que a Apple não permite a instalação do MacOS em hardwares que não sejam de sua empresa, portanto, para usá-lo legalmente, é necessário ter o Linux instalado no hardware da gigante de Cupertino, ou ter adquirido o MacOS quando o mesmo ainda era vendido, pois dessa forma você faz com o sistema que adquiriu o que quiser, e é claro que ninguém vá fiscalizá-lo quanto a isso.

O pacote snap utilizado foi criado por Alan Pope da Canonical, facilitando a instalação e a execução do MacOS em uma virtual machine no Debian/Ubuntu, Deepin, Fedora, Pop!_OS e demais distribuições Linux (que possuem suporte a Snap).

Virtualizando o MacOS no Linux através do Programa Sosumi.




Você pode baixar e utilizar o pacote snap disponível no GitHub. E caso não queira usar o pacote em formato snap, existe a opção de usar o macOS-Simple-KVM, um conjunto de ferramentas para configurar uma máquina virtual do macOS no QEMU.

Caso já tenha suporte a instalação de pacotes snap no seu sistema, utilize o comando:

sudo snap install sosumi --edge

Quando for executar o programa pela primeira vez, abra o terminal e digite sosumi, e pronto, o programa vai se abrir para que você execute o MacOS na sua distribuição Linux através de uma virtualização.

Segue um vídeo abaixo feito no canal sobre a virtualização do MacOS no Linux:

Virtualizando o MacOS no Linux!

Siga nossas redes sociais!

Entre no grupo RikerLinux no Telegram
Canal de notícias no telegram
Siga o RikerLinux no Instagram: @RikerLinux 
Siga o RikerLinux no Twitter: @RikerLinux

Virtualizando o MacOS no Linux através do Programa Sosumi

terça-feira, 17 de março de 2020



Pode ser até "fácil" escolher um sistema da lista das melhores distribuições Linux disponíveis atualmente, ou das mais fáceis de usar. No entanto, muitas vezes se torna confuso comparar duas distribuições semelhantes, como por exemplo Pop! _OS e Ubuntu, na hora de escolher uma para usar.

Primeiro temos que notar as diferenças entre ambos, ver qual nos atende melhor, e levando em consideração que o Pop! _OS é baseado no Ubuntu. Então, qual seria a diferença entre ele e o próprio Ubuntu?

Através dessa matéria, vamos fazer umas comparações entre o Pop! _OS e o Ubuntu para lhe ajudar na escolha, caso em algum momento a dúvida venha até você.

Detectar a semelhança ajuda a distinguir outras diferenças. Então, deixe-me começar a anotar algumas das semelhanças óbvias.

Como eu mencionei, o Pop! _OS é uma distribuição Linux baseada no Ubuntu. Então, você obtém todos os benefícios de usar o Ubuntu (tecnicamente a mesma coisa em sua essência) usando o Pop! _OS.

Ambos possuem o ambiente GNOME como área de trabalho por padrão e, por isso, apresentam a interface de usuário semelhante entre si.

Agora vamos destacar algumas diferenças importantes aqui.

Para muitos, o Pop! _OS se trata apenas de um Ubuntu com aparência diferente. Mas pelas pesquisas que fiz, percebi que não é totalmente verdade.


Verdade que ambos utilizam a interface Gnome como área de trabalho principal - no entanto, o Pop! _OS parece possuir uma versão do Gnome mais polido.

Além da aparência, o Ubuntu personaliza a experiência do Gnome Shell adicionando um dock e mais alguns efeitos, tentando deixar um pouco mais próximo da experiência que tínhamos com o Unity. Que foi descontinuado para o desenvolvimento do Unity 8, que posteriormente foi abandonado devido ao corte de custos por parte da Canonical, projeto que hoje é mantido pela comunidade UBports com o nome de Lomiri. Caso você prefira uma experiência mais personalizada do Gnome, vai preferir o Shell do Ubuntu.


A primeira vista pude notar que no esquema geral de cores, os ícones e o tema do Pop! _OS são sem dúvida mais agradáveis e como uma experiência superior para o usuário, do que no Shell entregue pela Canonical no Ubuntu. Porém isso pode ser uma questão de gosto, e você pode ter uma opinião diferente na minha quanto a esse quesito.

Facilidade de instalar aplicativos de terceiros

O Ubuntu tem colocado ênfase nos pacotes Snap, tentando diminuir a fragmentação na instalação de programas do Linux, remando contra a maré de muitos outros sistemas que adotam os flatpacks. Porém os Snaps também aumentaram muito o número de aplicativos disponíveis para o Ubuntu.

Mas nem tudo são flores, existem alguns problemas com os pacotes Snap. A começar por eles ocuparem muito espaço no disco e demorarem muito tempo para iniciar.

Acaba se tornando melhor utilizar a versão APT de qualquer aplicativo. Mas por que estou lhe falando isso?


Como o Pop! _OS possui seu próprio PPA oficial, que vem ativado por padrão. Você encontrará alguns aplicativos úteis como o Android Studio, e o TensorFlow. Podendo usar o apt-get install para obter essas ferramentas. 

Obvio que você também pode usar o mesmo PPA em um Ubuntu comum e tirar proveito dele.

Aplicativos pré-instalados

Pode não ser o melhor dos mundos para alguns, mas ter muitos aplicativos pré-instalados pode afetar a experiência e o desempenho. Mesmo que isso não afete o desempenho - alguns usuários preferem menos aplicativos pré-instalados.

O Pop! _OS vem com menos aplicativos padrão, a não ser que você instale o Ubuntu minimal e decida o que quer ou não no seu sistema.

Suporte para Snap Package

Para usuários confortáveis ​​com os pacotes de snap, a central de Programas do Ubuntu é uma solução um pouco melhor do que a loja do Pop! _OS, porque você pode ter pacotes de snap listados diretamente na sua central de Programas.

Você não pode filtrar os pacotes de snap na central de programas, mas será mais fácil instalar um pacote de snap quando você encontrar um (veja os detalhes da fonte do aplicativo como ‘Loja de snap‘ / ‘Snapcraft‘) na Central de Programas.

O Pop! _OS também suporta pacotes de snap - se você estiver confuso. Mas você não os encontrará na própria loja Pop! _OS, essa é a única diferença aqui.

Arquivo ISO NVIDIA / AMD separados


Eis um fator que causa confusão em alguns usuários, portanto, vale ressaltar que o Pop! _OS fornece ISOs separadas. Uma para os sistemas com placas gráficas NVIDIA e outra para sistemas com ou sem gráficos AMD.

Com o Ubuntu 19.10, você obtém drivers da NVIDIA diretamente na ISO do Ubuntu, mas não existe isso quando tratamos dos gráficos da AMD.

Confiabilidade e problemas

Inquestionavelmente, ambas as distribuições são amigáveis ​​para iniciantes e bastante confiáveis. E claro que convém manter uma versão LTS (Suporte a Longo Prazo) caso deseje maior confiabilidade e menos problemas.

Quando uma nova versão do Ubuntu é lançada, o Pop! _OS trabalha e potencialmente, corrige os problemas que os usuários encontraram na versão original do Ubuntu antes de disponibilizar a nova atualização.

Isso lhes dá uma pequena vantagem, mas isso não é substancial, porque essas correções depois chegam ao Ubuntu.

Desempenho

O desempenho dependerá muito do que você instalou e da configuração de hardware em que o instalou.

A menos que você tenha um sistema muito antigo, ambas as distribuições parecem ter um desempenho muito bom.

Obvio, você pode fazer manualmente alguns ajustes de otimização para atender as suas necessidades.

Compatibilidade de hardware

Definitivamente, isso é algo a considerar ao comparar outras distribuições Linux. No entanto, neste caso, não há realmente nenhuma diferença significativa.

O Pop! _OS possui ajustes personalizados para se adequar à sua própria gama de laptops e desktops Linux. Se você possui uma máquina System76, o Pop! _OS deve ser definitivamente a sua escolha.

O Ubuntu é uma distribuição não centrada em hardware. Pop! _OS, por outro lado, é uma distribuição personalizada para o hardware System76.

Sei que não é fácil escolher uma das duas populares distribuições Linux sem experimentá-las. Se for possível, recomendamos que você experimente os dois sistemas, mantendo essa comparação como referência.

Qual é a sua escolha entre esses dois? Perdi alguma coisa na comparação? Deixe-me saber a sua opinião nos comentários abaixo.

Essa matéria foi baseada na matéria do Itsfoss na qual fiz algumas adaptações, a matéria original em inglês está disponível nesse link.

Siga nossas redes sociais!

Entre no grupo RikerLinux no Telegram
Canal de notícias no telegram
Siga o RikerLinux no Instagram: @RikerLinux 
Siga o RikerLinux no Twitter: @RikerLinux

Pop! _OS vs Ubuntu: Qual sistema usar?

segunda-feira, 16 de março de 2020


Através dessa matéria vou abordar Porque usar Linux Mint, uma distribuição Linux irlandesa que começou como um Ubuntu com algumas modificações, e com o passar do tempo desenvolveram sua própria interface gráfica chamada Cinnamon, deixando de ser uma simples comunidade para se tornar uma pequena empresa com cerca de 20 desenvolvedores nos dias atuais, liderados por Clement Lefebvre, existindo hoje em dia até parcerias para vendas de computadores já com Linux Mint de fábrica, como podemos verificar na página do projeto.


Mas, então... Porque usar Linux Mint?! 🤔Seria mais uma pergunta ou uma afirmação do porque de utilizar o mesmo?

Desde a fácil instalação a interface Cinnamon, o Linux Mint é um sistema bem prático para quem busca algo que você instala e já está pronto para usar.

Além de se preocupar em usar tecnologias apenas quando estiverem realmente prontas, demorando a implementar recursos como o Wayland por exemplo. Não levando para o sistema recursos que podem deixar o usuários na mão.

Diferentemente de outras distribuições Linux, o Linux Mint não requer muitas modificações após a sua instalação para que você possa começar a usar. Muitos sistemas requerem que você abra o terminal, use comandos para atualizar, e ainda adicione repositórios para instalar programas.

Já no Linux Mint, temos quase tudo disponível na sua sua loja de aplicativos, e o que você não encontrar nela, provavelmente irá encontrar na internet o programa em formato .deb para fazer a instalação clicando no mesmo.


A equipe do Linux Mint tem desenvolvido também os Xapps, que começaram como Forks do Gnome, desenvolvidos na base GTK, sendo cross interface, programas escritos dessa forma podem rodar sem problemas nas interfaces Cinnamon, Mate e XFCE por também utilizaram GTK, evitando que os desenvolvedores percam tempo, ao tentar portar um programa de uma interface para a outra, podendo se concentrar em outras questões.

A tela inicial de boas vindas, já lhe proporciona a possibilidade de instalação do driver de video, de som, e de rede se for o caso, além de mostrar alguns programas que também podem ser instalados, sendo um grande facilitador para todos.


Basicamente você não precisa utilizar o terminal para nada, sendo um sistema fácil, prático e objetivo. Possuindo uma interface gráfica chamada Cinnamon, que a primeira vista se parece um pouco com o ambiente utilizado no Windows. Porém sendo totalmente customizável, lhe dando após um tempo maior de uso e conhecimento, a possibilidade de customização de acordo com o seu gosto.

Outro ponto forte, é a possibilidade de restaurar pontos do sistema após modificações indesejadas assim como ocorre no MacOS e no Windows com o TimeShift. É bem verdade que ele pode ser instalado em outras distribuições Linux, mas no Linux Mint além do mesmo vir instalado por padrão, ele se apresenta pra você utiliza-lo de maneira automática, deixando todos os outros sistemas para trás quanto a essa otimização.


Para lidar com arquivos, o Nemo é um rival a altura se comprarmos com o Finder do MacOS e o Explorer do Windows, com a vantagem de além da abertura de abas (que só o Finder nesse caso tem),  apertando fn+f3 ele consegue dividir a janela no meio, facilitando a visualização dos conteúdos para agilizar o seu trabalho.




Se já não bastasse toda essa praticidade o Linux Mint é baseado no Ubuntu, a distribuição Linux com mais tutoriais disponíveis na internet, o que torna uma pesquisa para resolver qualquer questão sobre o sistema, algo fácil, não sendo difícil tirar as suas duvidas caso haja alguma, quando a algum procedimento.

Mas o Linux Mint também possui uma versão chamada LMDE, sendo a sua versão baseada no Debian, para caso o Ubuntu que é mantido pela Canonical seja descontinuado, ou eles sofram algum processo, ou qualquer problema que aconteça, o Linux Mint possa continuar sem problemas.


Quando nos perguntamos do Porque usar Linux Mint, encontramos mais pontos positivos do que pontos negativos para nos encorajar a utilizar esse sistema Linux.



E você, já testou ou pretende testar o Linux Mint? Deixe aqui a sua opinião



Segue abaixo o vídeo que fizemos no canal sobre o assunto.








Porque usar Linux Mint?!

quinta-feira, 5 de março de 2020


O ZorinOS chegou na versão 15.2, estando já disponível para download. E uma série de atualizações de software, correções de bugs e patches de segurança foram incluídas, assim como o novo kernel Linux (Linux 5.3), cortesia do vindo Ubuntu 18.04.4 LTS na qual o sistema é baseado além de incluir sua pilha de Hardware Enablement (HWE).

Versões atualizadas dos principais aplicativos, como Firefox, LibreOffice e GIMP, também estão presentes.

O Zorin OS 15 tem sido um enorme sucesso desde o seu lançamento no verão passado, alcançando a  marca de impressionantes 900.000 downloads desde então.

O sucesso é uma prova das opções de design e desenvolvimento adotadas pela equipe do Zorin OS, que adapta a distribuição para atrair usuários do Windows e aos iniciantes no Linux, que desejam apenas um sistema que 'funcione'.

O Zorin OS 15.2 já está disponível download, no site do Zorin OS. Como sempre, o Zorin OS está disponível na versão paga 'Ultimate' e na versão gratuita 'Core'.

Se você já comprou o Zorin OS 15 Ultimate, pode fazer o download de uma cópia do Zorin OS 15.2 Ultimate usando o link de download compartilhado no seu email de compra original.

Caso você já executa o Zorin OS 15 não precisa fazer o Download de outra versão assim como nas versões pontuais do Ubuntu, bancando atualizar o mesmo.

Os usuários existentes recebem todas as atualizações mencionadas aqui como atualizações regulares de software. Portanto, se você ainda não faz isso há um tempo, execute uma verificação de atualização e instale todas as atualizações listadas.

Fonte: OMG Ubuntu

ZorinOS 15.2 foi lançado e já está disponível para download

Acompanhe o Canal RikerLinux

PORQUE USAR UBUNTU

CEO da Red Hat assume a presidencia da IBM

MAIS ANTIGAS

O QUE FAZER APÓS INSTALAR O FEDORA?

COMO ATRAIR USUÁRIOS PRO LINUX?

Adsense

LEIA TAMBÉM

Adsense

Translate

Recent

AINDA NO BLOG